Cuidados com os dentinhos - 02.04.2011


Higiene bucal mesmo sem os dentinhos

Engana-se a mamãe que acha que deve se preocupar com a limpeza da boca e dos dentes do bebê só depois que os dentinhos surgem na boca. Pior ainda são as mães que acham que dentes de leite não precisam de cuidados, pois têm vida curta.
Espero que 99,9% dos pais não pensem dessa forma. Os dentes de leite são sim importantes e merecem todo o cuidado. São eles que guiam o nascimento dos dentes permanentes, que abrem os espaços para a dentição posterior e são essenciais para uma boa mastigação e para a fala.

A saúde dos primeiros dentinhos motiva a saúde dos dentes permanentes.
Os primeiros dentes nascem ao redor do sexto mês de vida, mas a limpeza da boca deve começar antes, com uma gaze ou fralda molhada em água filtrada, passe por toda a boca da criança, limpando gengiva, bochechas e língua. Assim, desde pequenina a criança se acostuma com a intervenção na boca, não dando trabalho quando começar a ir ao odontopediatra e com hábitos orais corretos.
Fase pré-escova - Cada idade tem um jeitinho de fazer a limpeza da boca do bebê. Logo que os dentinhos nascem, a gaze ou fralda é substituída por uma dedeira. Da dedeira, a escova de dente infantil já é recomendada. O fio dental é recomendado assim que os primeiros dentes surgem.
O uso de creme dental só deve ser usado sob orientação do odontopediatra, que indicará quando e qual creme usar, já que para os pequenos não pode conter flúor devido à imaturidade da deglutição - a criança ainda não está suficientemente preparada para engolir todo o flúor que, em excesso, pode fazer mal à saúde dos dentes permanentes.
Cárie de mamadeira - Existe um mal que acomete cerca de 60% das crianças de até três anos de idade e que pode ser evitada com algumas atitudes: a cárie de mamadeira, provocada principalmente pela alimentação noturna da criança (seja o leite materno ou não) seguida do sono sem a devida higienização.
A saliva tem uma ação protetora dos dentes e ajuda a manter a boca limpa, mas durante o sono, a quantidade de saliva diminui, favorecendo a rápida instalação da cárie.
A cárie de mamadeira provoca muita dor e ataca todos os dentes da criança em um curto espaço de tempo, provocando mau hálito, deficiência na mastigação e na fala, além de ficar com uma estética feia. Se a mamãe observar manchas brancas opacas nos dentinhos do seu filho, leve imediatamente ao dentista. Essa machinha é o início da cárie.
Outros fatores que provocam a cárie de mamadeira são o uso excessivo de açúcares na alimentação da criança e o hábito que algumas mamães têm de adoçar a chupeta para acalmar o bebê e fazê-lo dormir.
Como a cárie é ima doença infecciosa, isto é, passa de pessoa para pessoa, evite assoprar a comida da criança, dividir o mesmo talher ou beijar a sua boca, pois se estiver com cárie, pode contagiar a criança.
A boa higienização oral desde bebê é um bom começo para uma dentição saudável no futuro.

Dicas

O nenê não tem dentinho, mas nem por isso devemos esquecer de higienizar a boca dele. A alimentação noturna deve ser retirada até os doze meses de vida para evitar a cárie de mamadeira.

·         Caso a criança se alimente à noite, a mamãe deve fazer a higienização da boca da criança mesmo que esta esteja dormindo.

·         Leve a criança ao dentista a cada seis meses, a partir dos seis meses de vida da criança para a prevenção de cáries.


Sorriso perfeito começa na infância

Maus hábitos durante a infância podem prejudicar o rosto das crianças

 Desde a infância, a preocupação que deve existir com a formação futura das arcadas dentárias é imprescindível. Na maioria dos casos, o uso de chupetas, mamadeiras, sucção de dedos, mordiscamento persistente de objetos e apertamento nos dentes são hábitos nocivos que podem interferir profundamente no crescimento da face e na correta disposição dos dentes.
As crianças, em sua fase de crescimento, adotam ou geram esses hábitos, os quais podem ter grande influencia e predispor, de forma severa, a ter "dentes tortos" (mal posicionados nas arcadas). "Para tal fato, deve existir uma rigorosa observação e preocupação por parte dos pais e devem ser tomadas iniciativas de tratamento precoce, ainda na idade pré-escolar, de 3 a 6 anos", adverte o Dr. Gerson Köhler, especialista em Ortopedia Facial e Ortodontia.
Além de fatores como o excesso de sucção (chamada de sucção não nutritiva), os hábitos como uma posição inadequada ao dormir, questões posturais do corpo - principalmente da cabeça e pescoço - ou até dificuldades respiratórias, podem ter grande influencia à formação incorreta das arcadas e repercussões danosas também sobre a beleza do rosto. "O padrão da qualidade respiratória é considerado, hoje, a chave do crescimento normal da face humana. Se existir algum desequilíbrio da função muscular por causa da respiração inadequada (feita pela boca e não pelo nariz), podem ser causados sérios desvios do crescimento ósseo maxilar e mandibular", explica Köhler.
Fora isso, o cuidado que deve existir não é apenas com as funções do corpo, mas também com problemas futuros que os maus cuidados podem trazer à criança. "Além da má formação, outros fatores que podem ser ressaltados são relacionados à auto-imagem e a auto-confiança. Se não existir um cuidado, esses desvios podem gerar um desfiguramento progressivo da face, mesmo por que o rosto é a área corporal mais suscetível a deformações, e, assim, deixar a criança refém de brincadeiras de mau gosto feitas pelos colegas", conta o Professor Gerson.
Dentre todas, o melhor é não arriscar e procurar tratamento especializado em idade precoce para seus filhos. "O certo é iniciar os cuidados já a partir dos três anos de idade, o que não significa o uso imediato de aparelhos corretivos", finaliza Gerson.

  


0 comentários:

Postar um comentário

Contato

Participe vc também, deixando seu recado, cartinha ou nos ligando:

tempodesercriancafm@yahoo.com.br
tempodesercrianca@hotmail.com

Tel.: 84 3521-4020