S.O.S da Criançada do Dia 10/Julho/2010

O tema pra esta semana foi bullying, é um termo inglês que refere-se ao verbo "ameaçar, intimidar". É uma situação que se caracteriza por atos agressivos verbais ou físicos de maneira repetitiva por parte de um ou mais alunos contra um ou mais colegas.


Estão inclusos no bullying os apelidos pejorativos criados para humilhar os colegas.

"E o agressor não é assim apenas na escola. Normalmente ele tem uma relação familiar onde tudo se revolve pela violência verbal ou física e ele reproduz o que vê no ambiente escolar", explica o especialista. Já a vítima costuma ser uma criança com baixa autoestima e retraída tanto na escola quanto no lar. "Por essas características, é difícil esse jovem conseguir reagir". Aí é que entra a questão da repetição no bullying, pois se o aluno reage, a tendência é que a provocação cesse.


Claro que não se pode banir as brincadeiras entre colegas no ambiente escolar. O que a escola precisa é distinguir o limiar entre uma piada aceitável e uma agressão. "Isso não é tão difícil como parece. Basta que o professor se coloque no lugar da vítima. O apelido é engraçado? Mas como eu me sentiria se fosse chamado assim?". Ao perceber o bullying, o professor deve corrigir o aluno. E em casos de violência física, a escola deve tomar as medidas devidas, sempre envolvendo os pais.


Médico pediatra lembra que só a escola não consegue resolver o problema, mas é normalmente nesse ambiente que se demonstram os primeiros sinais de um agressor. "A tendência é que ele seja assim por toda a vida a menos que seja tratado". Uma das peças fundamentais é que este jovem tenha exemplos a seguir de pessoas que não resolvam as situações com violência - e quem melhor que o professor para isso? No entanto, o mestre não pode tomar toda a responsabilidade para si. "Bullying só se resolve com o envolvimento de toda a escola - direção, docentes e alunos - e a família", afirma o pediatra.
E alguns exemplos das técnicas de bullying:



• Insultar a vítima; acusar sistematicamente a vítima de não servir para nada;

• Interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os ;

• Fazer com que a vítima faça o que ela não quer, ameaçando a vítima para seguir as ordens;

• Colocar a vítima em situação problemática com alguém;

• Fazer comentários depreciativos sobre a família de uma pessoa (particularmente a mãe), sobre o local de moradia de alguém, aparência pessoal, religião, etnia, nível de renda, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade depreendida da qual o bully tenha tomado ciência;

• Chantagem;

• Expressões ameaçadoras;

• Fazer que a vítima passe vergonha na frente de varias pessoas.

  Pois é crianças, vamos ficar espertas, o bullying pode trazer danos para seu amigo e para você também.




0 comentários:

Postar um comentário

Contato

Participe vc também, deixando seu recado, cartinha ou nos ligando:

tempodesercriancafm@yahoo.com.br
tempodesercrianca@hotmail.com

Tel.: 84 3521-4020